OFICINA DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL NO VALE DO JARÍ ESTADOS DO AMAPÁ E PARÁ.


O Presidente do IAAF Prof. Dr. Medson Janer da Silva em parceria com o Programa Integrado de Ações Socioambientais da Amazônia Oriental – PARCEIRO (consultor) do Estado Amapá, da Fundação Orsa e a EDP no Estado do Pará, moderou a Oficina de Articulação Institucional de Boas Práticas da Castanha-do-Brasil que servirá também de subsídio para articulações de ações e políticas públicas em beneficio do agroextrativista do Vale do Jarí na divisa dos Estados do Pará e do Amapá. Realizada no dia nove de março de dois mil e doze no Distrito de Monte Dourado do Município de Almerim no Estado do Pará, relatório em anexo.


Essa oficina é fruto de uma proposta de articulação institucional que foi lançada pela empresa EDP energias do Brasil e a Fundação Orsa no âmbito do programa de educação ambiental da Usina Hidrelétrica Santo Antônio do Jarí.
A proposta foi lançada em dezembro de 2011, ao Governo Federal, através do Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA, no âmbito de suas políticas de incentivo à produção rural sustentável nesta região de fronteira entre o Pará e o Amapá, também conhecida como Vale do Jarí.


Em janeiro de 2012, foi realizada uma segunda reunião de nivelamento de informações e planejamento deste evento, ocasião em que a proposta foi ampliada para as prefeituras de Almeirim, Laranjal do Jarí e Vitória do Jarí, também para os governos estaduais do Pará e do Amapá, através de seus Institutos de Florestas (IDEFLOR e IEF) e Secretarias de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico. Estiveram presente em 4 mesas de debate os Secretários de Estado do Amapá Dra. Ana Euler do Instituto Floreta do Amapá, Dr. Greyson Tolledo SEMA-AP, Dr. José Reinaldo da SEICOM-AP e Sr. Tuiago Neves do IDEFLOR-PA como debatedores da mesa n.01. na mesa n.2 o Prf. Dr. Antonio Filocreão vice-reitor da UNIFAP, Dr. Walter Paixão da EMBRAPA do Estado do Amapá e o Prof. MSc. Aristóteles Viana do IEPA-AP. na mesa 3 e 4 os representantes dos agroextrativista e dos empresários locais debatendo o agroextrativismo da Castanha-do-Brasil.
Na palestra o Prof.Dr. Medson Janer da Silva, representando o PARCEIRO e o IAAF, apresentou o Plano Territorial de Cadeias produtiva (Castanha-do-Brasil no Vale do Jarí) e o Agropolo da fronteira do Vale do Jarí. O Sr. Nadielson, sub-delegado da delegacia de Desenvolvimento Agrário do estado do Amapá, apresentou as ações do Ministério do Desenvolvimento Agrário na região sul do Amapá. E o coordenador do vento prof. Jorge Rafael da Fundação Orsa apresentou o programa das ações da Fundação e da EDP no Vale do Jarí.
Objetivo deste Encontro foi um momento de diálogo e integração de interesses e ações em favor da conservação do meio ambiente com base em praticas de produção rural sustentável, em especial, as boas praticas da cadeia de valor da castanha, por sua importância econômica, cultural e socioambiental para região e para e para a Amazônia, localizada no Vale do Jarí.
Onde se fizeram presentes todas as instituições federais, estaduais e municipais representadas, instituições de educação, pesquisa e extensão rural, instituições financeiras, empresas que atuam no setor extrativista, organizações e movimentos sociais que prestam serviços as comunidade.
A presença maciça das comunidades representadas por suas organizações de base, sindicatos, associações, cooperativas, que diariamente fazem valer no seio da cultura agroextrativista a luta pela educação, pela organização comunitária e pela conservação dos recursos naturais. Os agricultores e extrativistas, em especial aos castanheiros. Diferentes seguimentos mas todos tendo o castanheiro, a castanha, pessoas e organizações como personagens principais dessa história que no Vale do Jarí tem mais de 100 anos de existência. Esse momento tem como finalidade, continuarmos o diálogo já iniciado com os castanheiros, com as comunidades, e com as organizações. Esse momento também se propõe a compartilhar experiências e construir propostas para essa tão valiosa riqueza da floresta. Pois ainda temos um longo caminho a seguir , rever os desafios e construir soluções faz parte da nossa proposta e missão nessa oficina.
Como encaminhamento do evento foi tirada a seguinte agenda:
 EMPRESÁRIO LOCAL – REUNIÃO EM SEPARADO;
 AREA DE PRESERVAÇÃO E A CONVIVENCIA DOS AGROEXTRATIVISTAS; (FALA DO PABLO – SEMA/AP + SEMA/PA +ICMBIO – RDS/FROTA PARU/ESEC JARI) TEMA: CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE (ESCOAMENTO) AOS CASTANHAIS X Ucs DE USO SUSTENTÁVEL E DE PROTEÇÃO INTEGRAL – POSSIBILIDADES E LIMITAÇÕES);
 RECURSO COMPENSATORIO AO AGROEXTRATIVISTA (POR QUE A DIFERENÇA ENTRE O PESCADOR QUE RECEBE MAIS (2.080,00) EM RELAÇÃO 300,00/AGROEXTRATIVISTA);
 AGROPOLO DO VALE DO JARI;
 AGENDA DAS AUTORIDADES DO PARÁ E AMAPÁ, EM BRASÍLIA PARA NEGOCIAR PROJETOS;

Relatório em anexo.

Anúncios
Categorias: Amapá, Laranjal do Jari, Vale do Jari | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Jari News o melhor canal de notícias do Vale do Jari.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: