Posse de Zeca Madeireiro, eleito em Laranjal do Jari, está nas mãos da Justiça

A Promotoria de Justiça de Laranjal do Jari já encaminhou à Justiça as denúncias contra o prefeito eleito Zeca Madeireiro (PP), apoiado pela então prefeita Euricélia Cardoso, do mesmo partido.
Ele deve enfrentar dificuldades daqui para frente para provar que os flagrantes de corrupção dados no município, dias antes da eleição, não lhe beneficiaram nas urnas.
Foi com o apoio de Euricélia que ele conseguiu se eleger com uma diferença de 87 votos do segundo colocado, Barbudo Sarraf. Porém, a vitória de Zeca nas urnas está sob suspeita.
A três dias das eleições, a promotora eleitoral em Laranjal do Jari, Fábia Regina Martins, solicitou apoio policial para apurar possível compra de votos. É ela que assina a ação envolvendo a vitória de Zeca Madeireiro.


Flagrante
Segundo as informações, um veículo da prefeitura estaria transportando material de construção para entregar aos moradores da comunidade Marinho, na zona rural, a 40 km da sede do município. A intenção, segundo o Ministério Público, era trocar os produtos por votos para beneficiar o candidato Zequinha Madeireiro (PP), apoiado pela prefeita Euricélia Cardoso, do mesmo partido.
Durante a diligência, os policiais, em carro descaracterizado, seguiram o caminhão. O militar e o civil constataram que o veículo pertencia à Prefeitura de Laranjal do Jari. No caminho, um servidor municipal, responsável pela entrega dos produtos, entrou no carro.
O trajeto percorrido correspondeu exatamente às informações repassadas na denúncia.
Os policiais aguardaram o momento da entrega para efetuar o flagrante. O material foi apreendido. A líder comunitária Maria Darcy, identificada como beneficiária, e o motorista foram encaminhados à delegacia daquele município. Inquérito foi instaurado para apurar o crime eleitoral.

Prisão
Dois dias depois, as promotoras eleitorais Fábia Regina Martins e Fábia Nilci Santana, deram voz de prisão a uma professora chamada Vitória. Ela foi presa no supermercado Zanotto com vale-compra supostamente doado por Zequinha.
Após a prisão da professora, o MPE/AP obteve três mandados de busca e apreensão. Dois mandados foram cumpridos nas unidades do Zanotto. Nos supermercados foram encontrados diversos vales-compra.
O outro mandado foi executado na casa de Leni Melo Cardoso, mãe da prefeita Euricélia Cardoso. Na residência, foram apreendidas cestas básicas, cópias de títulos de eleitor com anotações de endereço e telefones, listas associando nomes e benefícios a serem recebidos, diversos vales- compra do supermercado Zanotto no valor de R$25 reais e materiais de campanha de Zeca Madeireiro.

Parado
Às vésperas da eleição, a Justiça Eleitoral determinou a interrupção imediata das obras para construção dos quiosques na Praça João Nery e a pavimentação das ruas do Bairro Mirilândia, em Laranjal do Jari.
Segundo o MPF, são duas obras de porte realizadas às vésperas da eleição municipal sem prévio processo licitatório. O objetivo, para o Ministério Público, seria beneficiar o Zeca Madeireiro (PP). Na liminar, o juiz Luiz Carlos Kopes Brandão afirma que “a situação noticiada pelo Ministério Público é deveras preocupante, e merecedora de providências imediatas, por conta dos riscos não só para o erário como também para o próprio processo eleitoral, ante a suspeita de interferência ilegítima e favorecimento a candidato.”

Anúncios
Categorias: Laranjal do Jari, Vale do Jari | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Jari News o melhor canal de notícias do Vale do Jari.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: